• Dr. Francisco Aníbal

O turismo médico e o discurso vendido aos brasileiros

Atualizado: Jun 24

O turismo médico em cirurgia plástica é uma proposta que tem cativado muitos brasileiros com ofertas no exterior. Em busca de procedimentos mais baratos, algumas pessoas têm optado por realizar cirurgia plástica em outros países. E as ofertas a esse convite costumam ser tentadoras. Nesse artigo, explico como funciona o check-in no centro cirúrgico com base em pacotes usualmente ofertados na Bolívia e na Colômbia. Se você já está de malas prontas, leia até o final!

gif


Turismo médico de cirurgia plástica: como funciona?

Há diversas opções para quem deseja realizar cirurgia plástica fora do país. Mas segundo a BBC, a Venezuela e a Bolívia têm sido a preferência dos brasileiros com essa finalidade. Normalmente, chama atenção das pessoas um anúncio na internet que promete um procedimento seguro e bonito por metade ou até menos do que valor que a mesma cirurgia custaria no Brasil.


Essa é uma indústria tão lucrativa que um negócio bem estruturado para promover o trânsito de brasileiros interessados em cirurgias. O discurso dos promotores que oferecem os serviços faz menção a pacotes completos e oferece uma facilidade e imediatismo que, na prática, pode trazer frustração ao paciente. Diante da alta procura, médicos na Bolívia e Venezuela mantêm equipes dedicadas a atrair clientes no Brasil. Por meio de divulgação em redes sociais e até mesmo presencialmente em áreas de fronteira, mediadores brasileiros divulgam o trabalho do profissional e divulgam fotos de supostos resultados dos processos.


Além disso, os intermediários - que divulgam serviços de médicos estrangeiros por aqui - normalmente ganham uma porcentagem por cliente cooptado. O pacote completo oferecido em geral inclui transporte, refeições, acomodação, cirurgia e cuidados posteriores.


Muitos enfermeiros - a maioria deles também brasileiros - contribuem para divulgar toda essa cartela de serviços, pois na maioria dos casos não têm um vínculo empregatício com apenas um médico.


Eles ajudam a encontrar o especialista no exterior e cobram até R$ 3 mil para dar suporte no pós-operatório que pode durar 15 dias. O valor costuma abranger alimentação, acompanhamento, acomodação e ajuda na recuperação.

De acordo com a matéria da BBC News Brasil, há casos de pessoas contratadas por falsos cirurgiões que ganham comissões e porcentagens para conquistar pacientes. Essa informação foi dada em uma conversa do Jornal com o presidente da Sociedade Boliviana de Cirurgia Plástica, Javier Ruiz Barea.

Segundo a reportagem, “além da possibilidade de ser operado por um profissional que não é cirurgião plástico, há também o perigo de o procedimento ser feito em uma clínica clandestina ou não haver cuidados adequados no pós-operatório”.

Como avaliar o turismo médico de cirurgia plástica?

Existem modos de se precaver e diminuir os riscos de cair numa roubada na prática do turismo médico. E isso vale também se você optar pela realização do procedimento no país que você reside.


Conheça a legislação médica local

Pensar em legislação pode ser um pouco massante no início, mas é fundamental para que você, literalmente, saiba onde está pisando. Ter essa noção dará base a você para questionar os pormenores do procedimento e, assim, aferir o grau de confiabilidade do profissional e do estabelecimento. Vou exemplificar. Aqui no Brasil, um profissional que não está credenciado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica não está autorizado a realizar nenhum procedimento dessa natureza. É possível fazer uma consulta no site da SBCP para avaliar a regularidade de qualquer profissional. O mesmo acontece na maioria dos países no mundo. Outro ponto interessante - que também é adotado em mais lugares - é que a divulgação de antes e depois das cirurgias plásticas é uma prática ilegal, ou seja, fere as regras da profissão.


Por isso, vale observar se o profissional com quem você fará o tratamento cirúrgico respeita as diretrizes básicas de atuação vigentes no seu país. Verifique se ele tem inscrição no Conselho Médico local.

Conclusão

Sobre o turismo médico em cirurgia plástica, não escondo as minhas ressalvas.


É claro que qualquer procedimento cirúrgico deve ser bem pensado e avaliado já que, necessariamente, envolve uma margem de risco. Mas você está disposto a correr um risco ainda maior do que aquele que é inevitável? Penso que, em determinados assuntos, o fator preço não deve ser o mais importante. Quando se trata de um assunto que envolve algo tão caro como é a saúde, é preciso pesquisar e se informar bastante para garantir que tudo seja realizado com cuidado e responsabilidade.

Dito isto, o meu conselho é que você estabeleça a segurança e o conforto do seu procedimento como valores inegociáveis. E o meu desejo é que, onde quer que esteja, você seja tratada (o) por mãos responsáveis e desfrute do prazer que é realizar a cirurgia dos seus sonhos.

________________________________________________________________________________


Se este artigo tiver sido útil, acompanhe as próximas postagens por aqui e as novidades em nossa rede social.


Eu e a equipe da AESTHETICS estamos sempre à disposição para esclarecer dúvidas sobre cirurgias plásticas, transplante capilar e assuntos médicos relacionados. Basta entrar em contato.



9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo