• Dr. Francisco Aníbal

Do que você pode sentir falta ao fazer uma cirurgia plástica no exterior

Atualizado: Jun 18


O turismo de saúde tem sido amplamente divulgado como uma opção fácil para o paciente que, por diversas razões, vê empecilhos na realização do procedimento no Brasil. Há alguns ”detalhes” que podem fazer bastante diferença no desenrolar e na recuperação de um processo cirúrgico. Estou falando daquilo que não será dito na oferta feita para convencer você de que viajar em busca de uma cirurgia é a melhor das escolhas.

É interessante fazer uma boa avaliação antes de tomar a decisão. Confira nesse post o que você pode sentir falta nessa viagem e que, infelizmente, não dá para incluir na bagagem.

gif

Turismo de saúde e o acompanhamento médico no pós operatório

Você concorda que nem sempre a assistência online substitui o contato presencial? Nos tempos atuais, muitas de nossas relações se transferiram ao virtual. Ainda assim, há situações em que a presença do outro é indispensável. O momento da cirurgia é uma delas. Mesmo quando o procedimento ocorre com total tranquilidade, complicações e reações incômodas podem acontecer no pós operatório. Por parte do paciente, muitas dúvidas surgem nesse contexto.


Por isso, para que você sinta segurança, faz muita diferença ter acesso fácil e presencial ao seu médico nos meses que se seguem à cirurgia. O médico deve continuar disponível mesmo depois que o paciente for liberado para casa.


Quanto tempo dura um pós cirúrgico?

Nesse momento, você pode estar se perguntando sobre quanto tempo se completa o ciclo da cirurgia com total liberação. E a resposta para isso é: depende. Há estimativas para a duração da recuperação numa cirurgia, mas como cada corpo responde de uma forma, não se pode contar com uma previsão exata. Há que se ter em conta também a complexidade do procedimento. O pós das cirurgias de pequeno porte será mais breve do que o pós das cirurgias de médio ou grande porte.


Tanto pode acontecer de você completar o processo de recuperação em um tempo menor do que a média estimada, como pode acontecer de seu corpo precisar de um tempo maior do que o habitual para concluir o processo. O fundamental, no entanto, é que a recuperação seja respeitada. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) alerta que os riscos da plástica no exterior não estão apenas nos procedimentos em si, mas também no pós-operatório. Isso porque há casos de brasileiros que sofrem complicações por não esperar o período de descanso necessário.

Já deu para notar como a questão geográfica pode interferir positiva ou negativamente numa intervenção cirúrgica? Para que você passe pela melhor experiência possível, o ideal é que a distância entre a sua casa e a do seu médico não envolva uma quilometragem entre países.


Revisões presenciais na cirurgia plástica

Ao se praticar o turismo de saúde as etapas das consultas para revisão não podem ser negligenciadas.

Depois da cirurgia o paciente deve ser examinado e, em casos específicos, pode ser recomendado que faça algum procedimento secundário para otimizar resultados ou para contornar um quadro clínico com complicações crescentes. Vale dizer que a importância das revisões está também em receber, no momento adequado, as orientações para tratar questões muito particulares. Se elas acontecem de modo presencial, é mais fácil garantir um melhor atendimento e melhor análise do quadro clínico apresentado. A primeira revisão acontece, geralmente, passados alguns dias da intervenção. Depois, as consultas revisionais são agendadas com intervalos mais espaçados, de 3 em 3 meses, por exemplo. A depender dos contextos do quadro e procedimento, a demanda de revisões pode se estender por cerca de 1 ano.

Quando se fala de pós cirúrgico há também um cuidado muito necessário que deve se voltar à cicatrização.


Ao apresentar boa recuperação, é comum que a pessoa se considere dispensada de comparecer às consultas do pós-operatório imediato. E, após meses, ocorre de o operado solicitar medicamento, pomada ou tratamento para corrigir a aparência da cicatriz que não está como desejava.

Como fazer para evitar esse tipo de transtorno?

Um dado que costumo compartilhar com os pacientes é que as chances de se ter uma melhoria na cicatrização são superiores a 80% quando o tratamento é iniciado no momento correto. E, para atingir esse sucesso, ele precisa comparecer às consultas de revisão.


Ainda sobre as revisões, é importante frisar que elas integram o planejamento da cirurgia. Não há outro modo de realizar o acompanhamento dos sintomas clínicos do pós-cirúrgico. O respeito a essa etapa, além dos benefícios claros de segurança e precaução, como já disse, contribui para a otimização dos resultados. Portanto, é prudente que o paciente esteja geograficamente próximo da equipe e/ou ao médico que lhe operou para concluir suas revisões contando com o suporte adequado de saúde.

Estar em casa após a intervenção cirúrgica

O tópico anterior nos leva a pensar que, havendo alguma circunstância da cirurgia que demande maior permanência no país estrangeiro, o paciente terá uma despesa com estadia que não estava nos seus planos. É preciso se preparar para isso porque é uma possibilidade real. Os pacotes de cirurgia no exterior costumam incluir a hospedagem, mas por um período de tempo determinado e, em geral, não consideram os imprevistos que podem ocorrer. Em pleno pós operatório, tudo o que um paciente não precisa é lidar com a imposição de permanecer fora de casa, assumindo, ainda, uma despesa extra.


Todo esse contexto contribui para desestabilizar o psicológico da pessoa operada e atrasar o restabelecimento de um quadro de saúde estável. Só com um quadro clínico equilibrado é que, enfim, haverá liberação para o retorno ao lar em segurança.

Rede de apoio para quem faz cirurgia plástica no exterior


Em outro país, um paciente operado, por mais bem acompanhado que esteja, não poderá contar com a mesma rede de apoio que contaria estando em seu país de origem. Infelizmente, não se pode "levar na mala" todas as pessoas que lhe apoiariam com muito amor num acontecimento importante da sua vida como é a cirurgia. Pode parecer bobagem, mas um fato positivo relatado pelas pessoas que passam por cirurgia plástica é a sensação de acolhimento encontrada na assistência da equipe médica, de amigos e familiares. O amparo dessas pessoas promove uma recuperação muito mais cômoda e leve para o paciente. Dá para supor que lidar com os desafios do pós cirúrgico estando longe do país de origem exige bastante desprendimento, muita estabilidade emocional, domínio das situações e pouca necessidade de ajuda externa. Exigir tudo isso de um paciente recém operado me parece um pouco demais. O que você acha?

Conclusão sobre o turismo de saúde para brasileiros

Essas foram as minhas considerações sobre os desafios da cirurgia em um país estrangeiro. A orientação maior que tenho a dar é que, independentemente do local escolhido para o seu procedimento, decida por uma proposta que transmita a você segurança e confiança. Se este artigo tiver sido útil, acompanhe as próximas postagens por aqui e as novidades em nossa rede social.


Eu e a equipe da AESTHETICS estamos sempre à disposição para esclarecer dúvidas sobre cirurgias plásticas, transplante capilar e assuntos médicos relacionados. Basta entrar em contato.

Dr. Francisco Aníbal Passos de Brito - Cirurgião Plástico - CRM: 11.137 / RQE: 6.311

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo