• Dr. Francisco Aníbal

Antes e depois na cirurgia plástica: por que repensar esse critério é tão importante?

Atualizado: Abr 17

O antes e depois na cirurgia plástica é uma das pesquisas mais realizadas pelos que desejam se candidatar ao procedimento. Somente no Google, são aproximadamente 32.400.000 buscas a cada 0,54 segundos.

Abdominoplastia, lipoaspiração, otoplastia, prótese de mama, ginecomastia, retirada de sinais cutâneos...


Criar expectativas em torno dessas intervenções é inevitável. E, nesse aspecto, temer por uma resolução ou resultado insatisfatórios faz muito sentido.

Em meio a tantas angústias, convém explicar os porquês de as fotos de “antes e depois” da cirurgia se apresentarem como uma grande cilada. Bem como os porquês de, por outro lado, a informação servir de grande aliada para livrar você de escolhas equivocadas.

Neste artigo, você descobrirá os diversos cenários dignos de desconfiança e os critérios essenciais para se observar na hora de pesquisar e decidir sobre a sua cirurgia plástica.


Você também entenderá como os conteúdos médicos na Internet e na mídia se submetem a limitações e regras para garantir o máximo de qualidade e bem-estar à vida de quem sonha com realizar uma cirurgia.

gif


Antes e depois da cirurgia plástica, lembre-se: resultados não são replicáveis


O antes e depois da cirurgia plástica varia conforme o corpo do paciente, sua resposta metabólica, a etapa do processo em que se encontra e a capacidade de cicatrização.


Embora haja contextos semelhantes, o fato é que o tempo de resposta à intervenção cirúrgica é único. Assim como você.


É por essa razão que não é pertinente se fixar em torno de resultados que não são os seus. É, aliás, muito perigoso construir expectativas tendo como único parâmetro a experiência do outro.


Se espelhar, sem questionamentos, em resultados alheios pode ser um erro de consequências desastrosas.


Fica aqui o alerta.


E, além do alerta, um lembrete: ao optar por uma cirurgia, você viverá a experiência a seu modo. E o processo experimentado por X, Y ou Z não poderá ser replicado automaticamente ao seu caso. A esse propósito, ao invés de lamentar, que tal exaltarmos a singularidade de cada experiência? Ao deixar de lado as comparações, você tem chance de se conectar mais profundamente com seus desejos e saber expressá-los com a clareza de quem os conhece bem, independentemente de qualquer opinião.


E, assim, desde a primeira consulta, você deverá passar por uma avaliação personalizada e cuidadosa que mapeará o seu histórico e estado de saúde para o procedimento.


Tenha em mente que uma cirurgia segura demanda investigação e planejamento individualizados e, somente através desses passos, com o devido embasamento, são projetados os resultados que você deseja alcançar.


Pesquisar sobre a cirurgia plástica é um hábito


Um estudo publicado na Revista Brasileira de Cirurgia Plástica (RBCP), feito na Universidade Federal da Bahia, demonstrou o impacto e a influência das informações contidas na Web para a tomada de decisão sobre realizar uma cirurgia plástica.


Os dados coletados, a partir do questionário aplicado aos participantes (pacientes ainda não operados), revelam que há uma contribuição ativa e positiva da Internet à pessoa que espera se sentir segura para a cirurgia.


Um dos dados preocupantes observados foi que, em cirurgia plástica, 34% dos sites relacionados ao tema "aumento de mama" apresentavam informações falsas ou enganosas sobre técnica operatória, benefícios e riscos.


Mas não somente a cirurgia de mama teve seu lugar nas buscas dos pacientes. A respeito dos procedimentos buscados na rede, veja os percentuais para cada cirurgia:



Quando perguntados se já pesquisaram sobre cirurgia plástica na Internet e sobre a quantidade de acessos aos sites apontados na busca, essas foram as respostas dos pacientes:


Um ponto levantado no estudo em questão foi que a maioria dos indivíduos, ao pesquisar, não aprofundam a sua busca. E essa superficialidade acaba por dificultar o acesso à informações de boa qualidade e procedência. Mas, como veremos, o saldo desse hábito de pesquisa ainda assim é positivo.


Nesse passo, foram identificadas vantagens no ato de pesquisar sobre a cirurgia. Segue as mais relevantes:

  • obter mais conhecimento sobre o assunto traz maior conforto, diante da ansiedade causada por um procedimento desconhecido

  • estar bem informado, embora não influencie no resultado da cirurgia, suaviza os sintomas pós-operatórios e aumenta a satisfação e a qualidade de vida depois do procedimento.

Os pacientes também foram questionados se, depois da pesquisa na Web, sentiam segurança para se submeterem à cirurgia. 80,7% deles afirmaram se sentir mais seguros após essa busca.


Dessa maneira, estamos de acordo que o uso da Internet como fonte de informação, ao se cogitar a cirurgia, é benéfico. No entanto, isso não significa que a consulta a um médico cirurgião seja desnecessária. Tampouco que a pesquisa na rede dispense algumas atenções.


Esses são fatores que aumentam o grau de confiabilidade dos sites e portais pesquisados:

  • pouca ou nenhuma propaganda

  • autoria do texto identificada

  • alternativas ao procedimento

  • indicação de onde obter uma segunda opinião sobre o assunto.

Portanto, não se esqueça de conferir esses aspectos no momento da sua busca.


O que importa: Antes (a informação) e Depois (a decisão)


Zelar pela vida, informar sobre inovações tecnológicas e científicas, comunicar sobre capacitação e habilitação para a realização dos procedimentos. Nada disso pode servir de “licença” para violar limites éticos da profissão, você concorda?


Para evitar essas situações - que desrespeitam os interesses mais nobres, ou seja, o seu bem estar enquanto paciente - o Conselho Federal de Medicina (CFM) criou diretrizes para especificar limites e responsabilidades e direcionar uma atuação ética da categoria médica na hora de fazer publicidade.


Isso quer dizer que todos os médicos (e suas respectivas clínicas) têm obrigação de conhecer essas regras e obedecê-las, inclusive o médico cirurgião.


Portanto, nenhum motivo autoriza um cirurgião a:

  • Mercantilizar a atuação médica

  • Se autopromover

  • Utilizar uma linguagem sensacionalista em sua comunicação midiática

  • Adotar posturas que comprometam princípios e valores que guiam o exercício profissional do médico cirurgião.

Desse modo, é fundamental que durante todo o processo a informação seja priorizada em detrimento de indícios de bons resultados. Aqui, é importante controlar o imediatismo e exercitar a paciência.


Não permita que a desinformação e a ansiedade atrapalhem a sua avaliação crítica. Trate-se com carinho e se dê o tempo adequado de pesquisa, observação e consulta para tomar a decisão mais acertada.


Para um “depois” sem arrependimento, foque no “antes” com conhecimento.


4 critérios essenciais para avaliar antes da cirurgia plástica


Nos próximos tópicos, descubra os critérios essenciais para evitar escolhas equivocadas na hora de fazer uma cirurgia plástica.


Prepare o “checklist”:


Indicações espontâneas


As recomendações mais espontâneas são as mais verdadeiras.


Quando nos encantamos com uma experiência, não dá uma vontade enorme de sair recomendando aos quatro ventos? Pois é!


É claro que não devemos tomar depoimentos como único critério e muito menos como verdade inquestionável, mas a propaganda promovida por quem não está ganhando nada por aquela indicação vale muito.


Nesse bate-papo com quem indica, aproveite para obter outras informações sobre o processo.


Que tal perguntar mais detalhes sobre o atendimento e a investigação médica realizada no pré-operatório?

Busque por referências. Escute quem recomenda sem nenhum interesse envolvido.


Postura ética da empresa e do profissional nos conteúdos que compartilham


Uma vez que estamos lidando com saúde, a forma como seu médico e a empresa se comunicam com o público não deve parecer uma corrida desesperada por clientes.


Exemplo: desconfie daquela comunicação que literalmente vende cirurgias e procedimentos, seja divulgando preços, facilitando pagamento ou compartilhando vantagens, promoções e descontos.


Esse tipo de postura tem proibição explícita na legislação que disciplina a publicidade médica.


Transparência


Na lista do que não fazer, quando um médico busca firmar uma relação de transparência com seus pacientes e colegas de profissão, estão as regras contidas nas Resoluções CFM 1974/11 e 2126/15. Destaquei algumas:

  • garantir, prometer ou insinuar bons resultados do tratamento

  • anunciar tratamento que requer especialidade sem o título de especialista

  • anunciar utilização de técnicas ou aparelhagem exclusivas (isso é desleal já que insinua uma capacidade privilegiada. Utilizar-se da técnica “a” e do equipamento “b” não necessariamente é sinônimo de competência e garantia de satisfação)

  • divulgar preços de procedimentos, modalidades aceitas de pagamentos, parcelamentos ou eventuais concessões de descontos

  • quaisquer outros meios de divulgação que representem sensacionalismo, autopromoção ou concorrência desleal.

Observe essas posturas na sua tomada de decisão. Fazer uso de publicidade proibida para se destacar é motivo de desconfiança, não de credibilidade.


Respeito à imagem de seus pacientes


A exposição do paciente para se autopromover e conquistar mais clientes também tem proibição expressa na legislação médica. É o que mostra o Art. 3º:


“É vedado ao médico:

  • expor a figura de seu paciente como forma de divulgar técnica, método ou resultado de tratamento, ainda que com autorização expressa do mesmo

  • garantir, prometer ou insinuar bons resultados do tratamento.”

Apesar das diretrizes, o estudo publicado na RBCP (acima citado) demonstra que a maior parcela das buscas realizadas pelos pacientes são por fotos de “antes e depois”.


Observe o gráfico:



A curiosidade pelo “antes e depois” é absolutamente natural. Mas, agora que você já compreende que esse tipo de exposição é ilegal, tem excelentes motivos para olhar esse conteúdo (e quem o divulga) com alguma desconfiança.


Até porque o não cumprimento dessas condutas éticas é uma violação aos princípios de confidencialidade, de confiabilidade e de respeito à vida privada dos pacientes.


Imagens de antes e depois de cirurgia plástica podem ser manipuladas


Diante de tantos avanços tecnológicos, existem inúmeros métodos para modificar imagens, conforme a conveniência de quem as manipula.


Note que, a depender da iluminação ou do ângulo em que se fotografa, por exemplo, podemos obter fotos com resultados completamente distintos, sem sequer ter existido uma intervenção cirúrgica no corpo retratado. É o caso dessa imagem:


Além disso, se até em edições amadoras alcançamos impressões muito melhores do que quando comparamos com a mesma foto sem efeitos, imagine o potencial de manipulação de resultados da edição em programas profissionais, como o Photoshop. Assim, fica claro que captar clientes com a isca do antes e depois “perfeito” é um atestado de descompromisso com os limites éticos da profissão.


Ressalto que atingir o seu ideal numa cirurgia é o que um bom cirurgião persegue e se esmera para garantir. No entanto, esse fato não o autoriza a se valer de divulgações proibidas para comprovar sua competência, tampouco a distribuir promessas acerca dos resultados.


Com esses alertas, espero fortalecer também os esforços de conscientização que vêm sendo assumidos pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. A SBCP tem produzido conteúdos para chamar atenção das pessoas sobre publicidades enganosas, abusivas e sedutoras que transformam muitos pacientes em vítimas e envergonham a nossa categoria. Confira o clipe informativo (te desafio a tirar essa música da cabeça depois de assistir, rs):




Por mais que nós, cirurgiões plásticos, desejemos demonstrar resultados, vale lembrar: a Resolução 1974/11 do Conselho Federal de Medicina proíbe a exposição de antes e depois de pacientes, mesmo com autorização.


É por isso que você não vai encontrar esse tipo de imagem nesse artigo, nesse site e em nosso perfil do Instagram.


Quando compreendemos que uma cirurgia de sucesso é muito mais do que resultados em imagens estáticas e editadas, também compreendemos que sucesso em uma cirurgia significa sobretudo critério. Significa se atentar aos detalhes.


É preciso fazer escolhas responsáveis, desde o passo inicial de colher informações até o momento em que, enfim, você vai para a mesa de cirurgia, à espera de uma grande mudança.

Afinal, como vimos, há critérios inegociáveis que evitam muita dor de cabeça mais tarde. E o polêmico “antes e depois” definitivamente não é um deles.



Como saber se o médico é credenciado em cirurgia plástica?


A cirurgia plástica é um procedimento que precisa ser feito por um médico especialista.

O título de especialista é obtido através da residência médica ou de avaliação de uma sociedade de especialidade, reconhecida pelo CFM (Conselho Federal de Medicina).


Em nosso caso, temos a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).


Recomendo que você, ao cogitar por um profissional, pesquise pelo seu nome na plataforma da SBCP. Para estar devidamente habilitado a realizar o procedimento, ele precisa ser encontrado nessa pesquisa, aparecendo como um membro cadastrado.


É bem simples:


1 - Primeiro, acesse o site e clique em "encontre um cirurgião" (na parte lateral superior direita da tela)



2 - Depois, clique em “buscar”



3 - Em seguida, digite o nome do médico no campo indicado. E pronto. Pesquisa concluída!



Dica extra: um indício de boa reputação do cirurgião se verifica quando ele dá fácil acesso às suas informações profissionais nos seus perfis em redes sociais e sites.


Somos obrigados, por lei, a deixar explícitos em quaisquer veículos de publicidade as seguintes informações:

  1. Nome completo

  2. Especialidade e/ou área de atuação, quando registrada no Conselho Regional de Medicina (CRM)

  3. Dados de inscrição e registro profissional (representados pelas siglas: CRM e RQE).

Como é uma consulta com um cirurgião plástico?


A primeira consulta é a oportunidade de se firmar uma relação de confiança entre você e o cirurgião.


É também nesse momento que será iniciada uma investigação médica detalhada para proceder aos passos seguintes, até a cirurgia.


Além disso, é importante frisar que a consulta médica deve transmitir acolhimento a você.


Um médico empático, disponível para sanar todas as suas dúvidas em torno do procedimento, é um profissional apto a lhe dar o suporte necessário no decorrer da cirurgia e em suas possíveis intercorrências.


Confira o que não pode faltar numa consulta com o seu cirurgião:


Mapeamento completo do seu histórico médico


Antes da cirurgia plástica ser realizada, é indispensável um debruçamento sobre o seu estado de saúde ao longo da vida e no momento atual.


Esse mapeamento inclui perguntar sobre a:


  • existência de cirurgias anteriores (com ou sem intercorrências)

  • presença ou não de doenças diagnosticadas ou em processo de investigação.

Aqui, vale ressaltar que o seu quadro psicológico também deve ser considerado.


Verificação de alergia ou reações às anestesias


Faz parte de uma postura preventiva a verificação de reações alérgicas ou às anestesias utilizadas no procedimento cirúrgico.


Se um paciente, por exemplo, tem alergia ao látex, será imprescindível realizar uma substituição de alguns itens comumente utilizados no procedimento. Essa adequação garantirá um ambiente livre de látex na sala de cirurgia, evitando, assim, sérias complicações.


Ingestão habitual de medicamentos e uso de outras substâncias


Mapear também os medicamentos e eventuais substâncias (tabaco, álcool, dentre outras drogas) de uso habitual é indispensável para calcular os riscos da cirurgia plástica.


Portanto, faça uma lista completa e sem omissões do que você ingere rotineiramente. Se precisar, anote para que não se esqueça nem mesmo daquela vitamina ou fitoterápico que você achou que não era importante comunicar.


O médico responsável pela sua cirurgia precisa ter acesso detalhado a essas informações para avaliar as interferências e conduzir o seu procedimento com o máximo de segurança possível.


▪ Chegamos ao final e, se esse artigo tiver sido útil para você, acompanhe as próximas postagens por aqui e as novidades em nossa rede social.



Dr. Francisco Aníbal Passos de Brito - Cirurgião Plástico - CRM: 11.137 | RQE: 6.311


Posts recentes

Ver tudo